terça-feira, outubro 30, 2007

     Vilayanur Ramachandran fala sobre como "enganou" o cérebro de um paciente que sofria de dores num membro fantasma, e também sobre sinestesia e a sua associação com o pensamento criativo e capacidades artísticas.
     São numerosos e bem documentados os exemplos de comportamentos humanos em que não valorizamos a informação recebida através dos nossos próprios sentidos. Já aqui foi referido o exemplo da influência sobre o nosso comportamento de um rosto desenhado num papel, como se alguém nos estivesse de facto a observar. As teorias do comportamento humano não conseguem incorporar esta realidade porque é incoerente com o paradigma racionalista.

1 Comments:

Blogger Ana Paula said...

Muito agradeço este momento do TedTalks. Interessante e divertido.

Esta questão recordou-me um texto de ficção de Conan Doyle, no qual um paciente persegue um médico, mesmo depois de morto, em busca de uma das suas mãos que lhe tinha sido amputada. Embora noutro contexto, o tema era, então,já abordado. Não será por acaso, já que o autor da história(Conan Doyle) era médico.

1:44 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home